sexta-feira, 18 de janeiro de 2013

domingo, 1 de janeiro de 2012

sábado, 17 de setembro de 2011

M.A.


face rosada em muito branco que é a sua cara
esconde a sensualidade que vemos no baton forçado
e no gesto subtil do ombro que faz a expressão rara
de quem se faz sentir ali mesmo ao lado

admiro, adoro e adorno-me por fim
faço-me notar porque não evito o olhar
fixo por tanta beleza, presença nada rara
em tão nobre cenário da corte do delfim

terça-feira, 23 de agosto de 2011

quinta-feira, 21 de abril de 2011

sexta-feira, 4 de fevereiro de 2011

Eles.
É ler nos olhos.

sábado, 24 de julho de 2010

terça-feira, 30 de março de 2010

terça-feira, 23 de março de 2010

meaningless.

todos os dias
é sempre assim...
meaningless

dias sem corrida
sem lisboa p'ra palmear
porque o caminho, sozinho
na vida não gosta de esperar
o que quero é a parte de ti
aquela que só a mim me apetece
e que sei que não se vai
and it's nobody else's but mine

todos os dias
é sempre assim...

meaningless

enquanto visto calças de ganga
p'ra me vadiar a mim
sinto preguiça no corpo
i'm just a human being
o que não quero é toda a manhã
porque a noite foi longa
e o acordar dói de bom
and no one know this more than me

quinta-feira, 11 de março de 2010

domingo, 21 de fevereiro de 2010

I can't hear you.

corro demais. vergonha!
dá-me chá, ou vou roubar.
que mania de mim!

(I can't hear you)

sintonia é coisa boa.
de tanto, de tudo, sem acalmar.
saíste ou ainda estás aí?

(I can't hear you)

na meia luz
há trocas de toques
sopros e sentidos
há licor, há amor

agora acho que te ouvi...

sexta-feira, 12 de fevereiro de 2010

Bye bye.

Um mausoléu é uma tumba grandiosa, normalmente construída para um líder ou figura importante que morrera. Mausoléu também pode referir-se a uma estrutura que contenha um certo número de criptas com tumbas de indivíduos mortos. Mausoléus podem ser edifícios separados, ou parte de um complexo maior - como um templo.

Foram quase 30 anos. Arrastou-se no tempo e, com ele, arrastaram-se laços.
Sinto já uma grande saudade. Não perdi só a casa da minha infância; deixei lá muita coisa.

sexta-feira, 29 de janeiro de 2010

Está atrás da porta.

caixa. caixinha. caixa de madeira, kambaia. farpo, fim de canseira. mão na caixa, na caixinha. boa, assaz.
traz a memória, história. abre agora, na hora e vê que é bom. esteve sempre lá, atrás da porta. abre quando a noite vem, mas vê só um pouquinho porque não tem sonhos meus, tem teus, carinho.
fala mal, fica de mal mas não faz mal porque a mão está na caixa, na caixinha. é só fechar.
sou eu mais agora, mais derivada, falada e calada. sou mais a coisa procurada, lá guardada que só eu sei se não era mais uma caixa, caixinha que eu criei. não! deixa e insiste. está lá, abre a caixa, caixinha, põe a mão, pressente e sente que é quente qual foto revelada de ambição. bate bate coração, bate bate coração....

quarta-feira, 18 de novembro de 2009

Attitude.

I'm willing to go with the breeze.......................

quarta-feira, 28 de outubro de 2009

SEDA.
















SEDA para os meus ouvidos. Para já, para ouvir aqui: http://www.myspace.com/projectoseda

terça-feira, 6 de outubro de 2009

Imaginei que a pudesse cantar.



Madrugada entendida
aquela que faz a figura esguia
a voz ainda quente da noite ida
o corpo de fogo que arrepia

Mais um passo não me esqueço,
que a falta faz o começo

Calçada de rumores
não impressiona, exibe a fadiga
dos risos cheios de alma e amores
escondidos numa rima antiga

Mais um passo não sou de ninguém,
nem fui de quem julguei

Arco de grande virtude
abraça olhares, vontades de pinga-amor
que em jeito desajeitado de inquietude
me pede que fique por favor

Mais um passo não sei se vou,
ou se fico em mim a viver quem sou

Christine, 6 de Outubro de 2009

segunda-feira, 28 de setembro de 2009

Janelas.
































Sem qualquer intenção, fazem-se notar e eu não evito.
A cadência com que existem faz-me ficar atenta.
De fora, faço o momento apenas pelo seu lado estético e romântico. Mas o encanto esteve sempre em imaginar que mais estaria ali por trás, que vidas a acontecer...

quinta-feira, 17 de setembro de 2009

Histórias.


Abre amanhã a CASA DAS HISTÓRIAS de Paula Rego, em Cascais.

Confesso que a sua grotesca obra me dói. É daquelas que tem um "filtro" ao primeiro olhar. Espero conseguir, num acto egoista e heróico, olhá-la de frente e sentir a sua essência, sem medo.

Tenho anos para fazê-lo, pelo menos tantos quantos da sua obra vamos poder admirar. Souto Moura deu uma "mãozinha".

quarta-feira, 2 de setembro de 2009

Brio. Muito!


Deu-me para isto.

Depois do abuso a sul e minutos de reflexão ao pôr-do-sol, esta é uma das medidas - alimentação saudável, biológica e incentivo ao comércio justo.

Ontem fiz o primeiro abastecimento e a primeira refeição: carne biológica com massa integral de coentros e manjericão. Parece que resultou!

O lado mau? Uns euritos a mais e mais uns km até Campo d'Ourique.

É preciso ter muito brio :)

sexta-feira, 31 de julho de 2009

Ocorreu um erro neste dispositivo

Seguidores

GreenPeace

www.greenpeace.pt